Maquinador

setembro 28, 2010 at 4:45 am (Neutra) (, , )

Talvez essa dê pra entender o que eu quis dizer. O título diz muito de como funciona o esquema dessa poesia.

-(—- Maquinador

Vou seguindo o verso
Acompanho o ritmo
A dança, a religião
Portas não me impedem
Sou chaveiro, sou ladrão

Escrevo as linhas
Você lê e eu te guio
Fantasio pessoas queridas
Abraço-te e te esqueço
Sou dor, sou ferida

Iludo seus olhos
Brincando de mágico
Você é minha dama
Sozinha no meu carteado
Sou cruel, sou fato

Sirvo o banquete
Tudo muito atraente
O cheiro que aguça
A gula que te come
Sou perfume, sou repulsa

Odeie-me, te odeio
Foram-se todos seus sentidos
Mostro-te um outro eu
Você não pode sentir
Sou eu, sou seu

—-)-

Musa. DCLXVI

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Dúvida Moral

setembro 18, 2010 at 4:32 am (Neutra, Reflexiva) (, , )

Acho que em algum tempo, nem eu vou entender o que escrevi, então vou explicar. Parti de um pseudo-universo paralelo dentro de nossa cabeça e, em seguida, fui para a descoberta da verdade depois de um julgamento precipitado. Prosseguindo, refleti sobre a moral individual e da sociedade, como esta influencia a outra, apenas para concluir que cada pessoa em sua individualidade só quer ser feliz.

-(—- Dúvida Moral

Parece que isso não deveria ser
Lembranças misturadas no vento
Paradoxo dentre um deja vu
Fluxo atemporal, contraste violento

Me ocorre que olhei errado
Senti o certo, ou o comum
É difícil formar sua própria moral
Não é pra qualquer um

Moral essa de bem e mal
Diluída nas vidas passadas
Vejo culpa no prazer carnal
Acima de toda farsa

E em sua individualidade
Cada pessoa está buscando a felicidade

—-)-

Musa. DCLXVI

Link permanente 1 Comentário

Senso

setembro 16, 2010 at 7:58 am (Neutra, Reflexiva) (, , )

Faz um tempo que não posto, talvez por preguiça ou por falta de vontade de escrever. Tudo corre bem, ficaria melhor caso estivesse estagiando. É bom ver seus esforços rendendo.

-(—- Senso

Sinceramente, eu queria desleixar
Ignorância é uma benção, como se diz
É um erro tornar as pessoas qual gosto amigos
Ou erro é achar que elas o fazem comigo

Onde estão os amigos de verdade?
Você cresce com eles ou não é amizade boa
Onde estão as moças que você quer casar?
Jogo de sorte, melhor dizendo, de azar

Essa sociedade muda a cada segundo
Ora bom dia, ora alguém vai te atropelar
Espelha meu quarto, arrumado poderia estar
Mas está com tudo fora do lugar

—-)-

Musa. DCLXVI

Link permanente Deixe um comentário