Da noite

maio 5, 2011 at 1:54 am (Negativa, Reflexiva)

Não me orgulho de tudo que faço, digo, escrevo. Mas assumo quem eu fui, sou, serei.

-(—- Da Noite

Quão pequeno um dia sou
Grandiosa essa existência
Trilhando os caminhos noturnos
Escudo, promessa e paciência

As estrelas que nos olham
Explodiram-se em fervor
Baniram meu bem querer
Aboliram o meu amor

A lua e sua luz
Tanto diz e não me fala
É beleza que encanta
Sinceridade que nunca falha

Sobre as nuvens que atrapalham
Digo são e digo que sei
Não depredam o céu da noite
Teto digno de rei

Amanhã que nos espera
Chuva vem e molha o chão
Quisesse eu poder um dia
Ser feliz na solidão

Imagino e vejo pouco
Não cresci e sou semente
Conheço a vida faseada
Quem nasce e cresce mente

O pensamento que vos fala
Não te muda e não te induz
Voaram de uma cabeça inerte
E no papel então eu pus

—-)-

Musa. DCLXVI

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: